Basicamente, o jejum permite que o corpo queime o excesso de gordura corporal. É importante saber que isso é normal e que as pessoas ad...

Como Funciona o Jejum Intermitente



Basicamente, o jejum permite que o corpo queime o excesso de gordura corporal. É importante saber que isso é normal e que as pessoas adeptas à essa dieta são “acostumadas” a poderem jejuar sem sofrer efeitos nocivos para a saúde. A gordura corporal é apenas energia alimentar armazenada. Se você não comer, o corpo simplesmente “come” sua própria gordura por energia.

A insulina aumenta quando você come, isso ajuda a armazenar o excesso de energia de duas maneiras diferentes. Os açúcares podem se ligar em cadeias longas, chamadas glicogênio, que são armazenadas no fígado. No entanto, o espaço de armazenamento é limitado e, uma vez que está cheio, o fígado começa a converter o excesso de glicose em gordura. Este processo é chamado de lipogênese (o que literalmente significa “criar gordura novamente”).


Algumas das gorduras recém-criadas são armazenadas no fígado, mas a maior parte é transferida para outros depósitos de gordura no corpo. Embora este seja um processo mais complexo, a quantidade de gordura que pode ser criada não tem limite. Portanto, existem dois sistemas complementares de armazenamento de energia alimentar no corpo. 

Um é muito fácil de acessar, mas tem uma capacidade de armazenamento limitada (glicogênio) e o outro é o mais difícil de acessar, mas tem uma capacidade de armazenamento ilimitada (gordura corporal).

O processo funciona em reverso quando não comemos (jejum). O nível de insulina diminui, sinalizando o corpo para começar a queimar a energia armazenada, uma vez que não recebe mais por meio de alimentos. Então, o corpo tem que extrair a glicose do reservatório para queimá-la e obter energia.